Benefícios da água

O consumo adequado de água de boa qualidade é fator coadjuvante na manutenção da saúde, em qualquer idade. Uma criança chega a ter cerca de 75% de sua composição corporal composta por água, um adulto 70% e um idoso 65%. Portanto, em qualquer fase necessitamos de quantidades suficientes desse líquido vital. Cerca de 2 a 3 litros de líquidos devem ser consumidos diariamente. As frutas, legumes e verduras são muito ricas em água, vitaminas e minerais, e devem ser consumidas diariamente. Para sabermos a quantidade de água adequada, multiplicamos o peso corporal em kg por 0,03, obtendo a quantidade em litros que deve ser consumida por dia.

O melhor tipo de água é aquela com menos impurezas possível, obtida através de um bom filtro, que possa reter parte do cloro e metais pesados presentes na água tratada dos centros urbanos. Não é necessário investir em filtros especiais que promovem alcalinização, ionização ou qualquer outro tratamento sofisticado da água. É fato que o organismo da população urbana tende discretamente ao pH ácido, porém, os estudos consistentes indicam que não é devido à água apenas, mas principalmente pelo desequilíbrio no pool da reserva de minerais promovido pelos alimentos industrializados, e pelo açúcar, que é um poderoso acidificante e desmineralizante do organismo. Os minerais, sobretudo os que se apresentam em maior quantidade no corpo, como o cálcio e magnésio, são alcalinizantes. Quando consumimos açúcar em excesso, principalmente na forma de refrigerantes de cola, o organismo mobiliza os minerais para alcalinizar, tamponar (equilibrar), o pH ácido, produzindo discreta acidez.

O consumo adequado de água com pH discretamente alcalina poderá contribuir para o equilíbrio do meio intracelular, e um simples filtro de barro produz água alcalina de boa qualidade. Porém, o que causará maior impacto, é o consumo regular de alimentos “vivos” como legumes, verduras e frutas orgânicas, ricas em minerais, vitaminas e antioxidantes que além de alcalinizar mais eficientemente o meio intracelular pelo fornecimento dos minerais, combaterão os radicais livres, ou espécies reativas de oxigênio, que são os principais vilões da saúde. Recomendo evitar a dieta industrializada, águas em garrafas plásticas, que se expostas ao sol, podem liberar para a água produtos tóxicos como dioxina e bisfenol A, dentre outros, com potencial de produzirem câncer e alteração hormonal.

Alguns benefícios do consumo qualitativo e quantitativo regular de água:

1- Melhora da função dos rins, prevenindo cálculos e auxiliando no controle da pressão arterial;

2- Regulação do ritmo intestinal melhorando a prisão de ventre, o meteorismo e a digestão. Os intestinos recebem todo o produto de desintoxicação produzido pelo fígado, para ser excretado. Na vigência de prisão de ventre, as toxinas metabolizadas no fígado retornam à circulação sanguínea, e são distribuídas de volta para todo o organismo. Os hormônios esteroides como o estrogênio, em homens e mulheres com constipação, podem elevar-se contribuindo para desequilíbrios e até o câncer;

3- Melhora da circulação sanguínea, aumentando o aporte de nutrientes e oxigênio para as células, e a captação de toxinas e gás carbônico;

4- Melhora da disposição e resistência física, pelo aumento dos nutrientes e desintoxicação;

5- Melhora da pele pela hidratação;

6- Melhora das dores nas pernas e câimbras pelo aumento da fluidez da circulação sanguínea e aporte de minerais, favorecendo ao equilíbrio metabólico nas células dos músculos.

7- O que é pH ou potencial de hidrogênio?

8- Sob o ponto de vista bioquímico, um meio biológico pode ser classificado como ácido ou alcalino de acordo com a quantidade de íons H+ ou OH-, formados pela dissociação da molécula da água H2O. Quanto maior a quantidade de H+ mais ácida e menor o pH (<7). Quanto maior a quantidade de OH- mais alcalina e maior o pH (>7).

9- O corpo humano possui mecanismo muito eficientes de ajustar o pH, que no sangue fica em torno de 7,3 a 7,5, discretamente alcalino. Variações temporárias do pH da saliva, urina ou plasma, não refletem o meio mais importante que é o pH do interior das células, que tende a ser ligeiramente ácido, devido ao estilo de vida dos grandes centros urbanos. Estudos sinalizam que essa discreta acidez do citoplasma celular, aliada à diminuição do aporte de oxigênio pelo sedentarismo e obesidade, associados à inflamação crônica amplificada pelos dois fatores anteriores, constituem fatores críticos para o desequilíbrio metabólico, predispondo às doenças degenerativas crônicas como câncer, doenças cardiovasculares, degenerações articulares, Alzheimer etc.

Na realidade, o consumo de água artificialmente excessivamente alcalina, além de não contribuir para o aumento dos minerais essenciais do organismo, frequentemente carente devido à dieta industrializada, poderá alterar o equilíbrio do pool de reserva de minerais, fazendo que o organismo interprete que não necessita dos minerais alcalinizantes, e os elimine.

A alimentação equilibrada é o fator mais importante para manutenção do equilíbrio do corpo, excelência metabólica e saúde plena, que é o objetivo da medicina preventiva regenerativa, e tendência mundial. A boa alimentação é a forma mais eficiente para neutralizamos o pH e permanecermos distante da obesidade. A atividade física adequada regular, aumenta o aporte de oxigênio e alivia o estresse, que é outro fator que contribui para o enfraquecimento do sistema imunológico, responsável pela defesa do corpo. Portanto, os pilares para a longevidade e qualidade de vida ainda são, e continuarão sendo, os mesmos:

Alimentação – Exercícios – Equilíbrio Emocional – Espiritualidade.

A melhor parte dessa nova abordagem médica, baseada na prevenção, regeneração e equilíbrio metabólico, é que as mesmas medidas para tratar ou prevenir a inflamação crônica subclínica no futuro, promovem hoje melhor qualidade de vida. Saúde plena é muito mais do que não estar doente. É um estado no qual as suas capacidades, sentidos e metabolismo, em qualquer idade, se encontram em um nível máximo de atividade. Significa que o corpo, a mente e a energia estão harmonizados em seu máximo potencial, permitindo que cada segundo seja pleno e glorioso, e sua vida repleta de paixão e entusiasmo.

Em qualquer fase da vida podemos melhorar o condicionamento físico, mental, sexual, profissional e a vitalidade como um todo. Dessa forma, envelhecer não se torna sinônimo de adoecer, e sim a recompensa da sabedoria dos anos com a energia e o entusiasmo da juventude. Estamos vivenciando um novo momento da medicina, em que o médico terá a sua capacidade medida não mais pela eficácia com que cura doenças, e sim pela habilidade em manter as pessoas saudáveis, com plenitude funcional e qualidade de vida.