Boa Digestão

Uma boa alimentação deve ser de fácil digestão, oferecer o máximo de nutrientes, evitar ganho de peso, azia, gases ou qualquer desconforto digestivo. Para isso observe as seguintes orientações: • Mastigue bem os alimentos e coma com tranquilidade. Quando comemos assistindo televisão ou discutindo assuntos que desviam nossa atenção do ato de alimentar-se, além de comermos maior quantidade, produzimos substâncias antagônicas às enzimas e sucos digestivos;

• Evite ir ao supermercado com o estômago vazio e com fome, porque tenderemos a comprar maior quantidade com menor seletividade;

• Coma uma refeição saudável em casa antes de ir à um evento social, que provavelmente oferecerá alimentos de menor qualidade;

• Fracionar os alimentos em 5 ou 6 refeições diárias;

• Varie o cardápio. Tenha 5 porções diárias de frutas e saladas com cores variadas, o que significa que possuem nutrientes variados;

• Evite tomar líquidos durante as refeições, para não diluir os sucos digestivos, sobretudo muito gelados ou muito quentes;

• Pela manhã em jejum, massageie o abdômen em sentido horário. Em seguida, beba um copo de água com o suco de 1/2 limão;

• Prefira jantar três horas antes de dormir;

• Coma a salada antes dos outros alimentos;

• Evite o leite e laticínios (sobretudo o leite UHT em caixas tetrapak). Substitua por sucos de frutas naturais não adoçados, chás, e água de coco (evite leite de soja);

• Evite os refrigerantes e sucos artificiais. Substitua por sucos de frutas não adoçados, chás, água de coco e água natural;

• Evite os produtos feitos com farinhas refinadas (pães brancos, bolos, massas etc). Substitua por suas versões integrais, ou se houver intolerância ao glúten, por substitutos não derivados do trigo;

• Evite comer mais de uma proteína na mesma refeição, por exemplo: carne com ovos, ovos com queijo etc;

• Melão e melancia devem ser comidos separados de qualquer alimento;

O mais importante é observar as mensagens do organismo percebendo os alimentos que isoladamente ou combinados, produzem sintomas desagradáveis. Suspenda esse alimento por alguns dias e observe se os sintomas desaparecem.

Bom Fluxo Intestinal

Para o bom funcionamento do nosso organismo, manutenção da saúde e longevidade com qualidade de vida, é de vital importância a eliminação das toxinas e resíduos do metabolismo, através das fezes e urina. Para que isso ocorra é necessário termos, no mínimo, uma eliminação do conteúdo intestinal todos os dias. O resultado do acúmulo de toxinas em decorrência da irregularidade no trânsito intestinal, reflete-se das formas mais variadas. Acne, envelhecimento precoce da pele, digestão lenta, má assimilação com carência de nutrientes, fadiga crônica, colon irritável, tensão pré-menstrual, irritabilidade, câncer, são alguns exemplos.

Além do desconforto proporcionado pela diminuição do ritmo do fluxo intestinal, aumento da disbiose (desequilíbrio da flora intestinal) e alteração na permeabilidade intestinal, a constipação promove a maior reabsorção da bile carregada de metabólitos hepáticos, que cronicamente causará sobrecarga hepática.

As fibras além de regularizarem o ritmo do fluxo intestinal, também são eficientes carreadoras das toxinas provenientes do metabolismo hepático.

Os alimentos industrializados são empobrecidos dos nutrientes, recebem produtos químicos e são desprovidos das fibras. Daí a necessidade do aumento do consumo de legumes, verduras, frutas, cereais integrais e também a suplementação com fibras.

Recomendações para melhora do fluxo intestinal

• Misture quantidades iguais de semente de linhaça moída no liquidificador + farinha de linhaça + farelo de aveia e guarde em um pote. Adquira ameixas secas sem semente (1 quilo). Cozinhe alguns minutos e amasse com um garfo para transformar em uma pasta e guarde em um pote. Misture uma colher de sopa da pasta de ameixas e das fibras e tome  no desjejum e antes de dormir. Guardar os potes em geladeira;

• Beber pelo menos 2 litros de água mineral de boa qualidade ao dia;

• Praticar atividades físicas regulares;

• Evitar alimentos pobres em fibras e enzimas digestivas como bolos, doces, pão branco, massas, alimentos industrializados em geral;

• Aumentar os alimentos ricos em fibra e enzimas digestivas como legumes, verduras, frutas, pães e biscoitos integrais, arroz integral;

• Mamão engolindo as sementes e mastigando parte delas;

• Laranja engolindo o bagaço;

• Iogurte natural, preferencialmente produzido em casa com leite não UHT (de caixinha, prefira leite em sacos ou vidros, encontrados em lojas de produtos naturais);

• Tomar 1 colher de sobremesa de óleo de linhaça ao dia;

• Evite o uso de laxantes;

• Regularize o ritmo intestinal, indo ao banheiro no mesmo horário todos os dias, mesmo sem vontade;

• Suco de Clorofila:  Tome 1 copo de suco pela manhã e antes de dormir: Bater em centrífuga ou liquidificador SEM ÁGUA: 1 maçã picada com casca e sem semente + 3 folhas de couve ou outras hortaliças ricas em clorofila (agrião, rúcula, hortelã e AQUI FALTA TEXTO