Fitoterapia é o estudo das plantas medicinais e suas aplicações na cura das doenças. Há uma grande quantidade de plantas medicinais em todas as partes do mundo, utilizadas há milhares de anos, com efeito comprovado para o tratamento de doenças. Os fitoterápicos possuem menor potencial de causarem efeitos colaterais; agem de forma mais suave e lenta, porém podem apresentar os mesmos benefícios dos medicamentos químicos alopáticos.

Com algumas excessões, os medicamentos convencionais têm o objetivo de aliviar os sintomas indesejáveis, e não a cura efetiva das doenças, exercendo ação poderosa e direta sobre o organismo, com potencial equivalente de causarem efeitos colaterais. O “Journal of the American Medical Association” (*) publicou em 1998 que cerca de 100.000 pacientes hospitalizados, entram em óbito anualmente em decorrência de efeitos colaterais de medicamentos, e outros 2 milhões padecem anualmente de efeitos colaterais significativos (Journal of the American Medical Association. Incidence of adverse drug reactions in hospitalized patients; Lazarou J, et al.; 1998). O Brasil possui a maior diversidade de matérias primas para a confecção de medicamentos fitoterápicos. Seus efeitos mais suaves buscam tratar os efeitos das doenças, porém visando também suas causas, produzindo menos efeitos colaterais.

Dr. Jorge Jamili acredita que a manutenção da saúde através da detecção e a correção precoce dos pontos fracos, de forma personalizada, com o ajuste do estilo de vida (alimentação, exercícios, equilíbrio emocional), utilizando fitoterápicos, hormônios base (quando necessário e possível), complementação nutricional com nutracêuticos (vitaminas, minerais, antioxidantes etc). e através de medicamentos químicos alopáticos como último recurso, pode proporcionar melhores resultados do que apenas a utilização de medicamentos alopáticos quando a pessoa já está doente. Manter a saúde e qualidade de vida com plenitude funcional, é melhor do que tratar uma doença estabelecida.