Reposição Hormonal na Menopausa e Andropausa com Hormônios Homólogos Humanos (Hormônios base)

Hormônios são substâncias que controlam o funcionamento do organismo. Em torno dos 50 anos ocorre uma queda na produção dos hormônios sexuais, período conhecido como menopausa (mulheres) e andropausa (homens), e o restabelecimento de seu equilíbrio, em pessoas com sintomas significativos de deficiência hormonal, contribui para a qualidade de vida, pela diminuição dos sintomas tão conhecidos na menopausa, como ondas de calor, desânimo, baixa de libido, enfraquecimento dos ossos, depressão, insônia, irritabilidade, fadiga crônica, ganho de gordura etc. A andropausa nos homens, que é o equivalente à menopausa das mulheres, pode apresentar tanta queda funcional e desconforto como nas mulheres. Pode ocorrer o aumento da gordura abdominal, diminuição dos músculos, enfraquecimento dos ossos, mau humor, irritabilidade, diminuição do entusiasmo, disposição, energia, foco, liderança, determinação, baixa libido, ereção incompleta, ejaculação precoce, aumento do risco cardiovascular, aumento do colesterol, desânimo generalizado etc.

Estudos indicam que os hormônios utilizados por via oral para a reposição hormonal da menopausa, necessitam de doses maiores para compensar a perda das transformações que ocorrem no fígado, possuindo portanto, mais chances de produzirem efeitos colaterais, aumentando o risco de doenças cardiovasculares e câncer de mama e útero, conforme comprovado pelo maior estudo realizado até hoje o W.H.I. (Women Health Initiative). Este estudo apresentou duas falhas principais: utilizou mulheres com média etária de 65 anos, onde a prevalência de doenças cardiovasculares e câncer é maior do que na média das mulheres que iniciam a reposição hormonal, que é em torno de 50 anos. A falha principal foi a utilização da combinação de dois hormônios, o PREMARIN, composto por estrogênios extraídos de urina de éguas e o ACETATO DE MEDROXI PROGESTERONA, que são hormônios com estrutura molecular totalmente DIFERENTE dos hormônios produzidos pelas mulheres.

Os hormônios base ou homólogos, apresentam estrutura molecular igual aos naturais produzidos pelo organismo. Estudos demonstram que esses hormônios apresentam maior compatibilidade e menos efeitos colaterais, por apresentarem a mesma estrutura molecular e serem aplicados diariamente por via transdérmica na forma de gel, acessando diretamente a corrente sanguínea sem passar pelo fígado, necessitando de doses menores para obter-se as respostas necessárias, e facilidade de ajustes das doses conforme a necessidade individual. Esses hormônios podem ser adquiridos em farmácias em sua forma industrializada, ou manipulada com doses personalizadas, porém devem ser prescritos pelo médico, que avaliará a necessidade, a possibilidade, e os riscos inerentes à administração de qualquer hormônio. Constitui contra-indicação à reposição hormonal a presença de câncer, pois os hormônios podem acelerar o desenvolvimento dessas células.

Dr. Jorge Jamili acredita que a manutenção da saúde através da detecção e a correção precoce dos pontos fracos, de forma personalizada, com o ajuste do estilo de vida (alimentação, exercícios, equilíbrio emocional), utilizando fitoterápicos, hormônios base (quando necessário e possível), complementação nutricional com nutracêuticos (vitaminas, minerais, antioxidantes etc). e através de medicamentos químicos alopáticos como último recurso, pode proporcionar melhores resultados do que apenas a utilização de medicamentos alopáticos quando a pessoa já está doente. Manter a saúde e qualidade de vida com plenitude funcional, é melhor do que tratar uma doença estabelecida.